Compromisso, responsabilidade e experiência – curso Técnico de Apoio à Infância

É chegado o momento em que refletir sobre uma primeira aproximação ao mundo de trabalho, denominada de formação em contexto de trabalho mudou por completo a vida dos alunos do curso de Técnico de Apoio à Infância. A ansiedade deu lugar à alegria, o receio à vontade de fazer mais e melhor e o medo deu lugar à certeza. Certeza de que o tempo passou demasiado rápido, certeza que desenvolveram competências variadas, certeza que fizeram amigos, … certeza de que é este o caminho a seguir. Enquanto coordenadora de curso fazer parte deste processo e contribuir para que assim acontecesse é motivo de orgulho e satisfação. Acabar o ano letivo com a certeza de que as diferenças de cada aluno e o seu ritmo e capacidade de trabalho foi respeitado, que a escola tem uma rede mais fortalecida de contactos com a comunidade, receber o retorno de que os alunos foram um excelente contributo na vida das instituições e fizeram a diferença faz-nos crer que estamos no caminho certo e de que os objetivos foram alcançados. Estamos certos que experiências de Estágio são aprendizagens para a Vida! Obrigada instituições, parabéns alunos! {Sara Cepa » Coordenadora de Curso}

ASCRA – TESTEMUNHO DE UMA INSTITUIÇÃO 

São inúmeros e indiscutíveis os benefícios e vantagens de se fazer um estágio durante o curso. Adquire-se experiência, conhece-se outros profissionais, e vivem-se situações de trabalho da futura profissão. É por isso importante que o aluno se dedique ao máximo ao estágio, cumpra suas funções com compromisso e responsabilidade e adquira o máximo de experiência que puder. No que se refere concretamente aos estágios da EPE, concretamente no curso de Técnico de Apoio à Infância, são sempre uma mais valia para a ASCRA – Associação Social, Cultural e Recreativa de Apúlia.  Acontecem num período perto do final do ano letivo, quando existe um acréscimo de atividades (praia, festa fim de ano, …) podendo as Educadoras contar com a criatividade e colaboração/disponibilidade dos estagiários, na realização destas (e outras) atividades. Estes estágios são também um contributo importante para a socialização das crianças que interagem com outros adultos que não os habituais. Este ano este processo decorreu de uma forma muito natural, visto que os estagiários não eram estranhos “à casa”. Eram antigos alunos e familiares de atuais utentes. Através do tema por estes escolhidos para a PAP (Prova de Aptidão Profissional), a desenvolver no próximo ano letivo, “Os Jogos tradicionais” foi possível observar a aptidão/destreza e à vontade dos estagiários enquanto futuros profissionais. {A Equipa Técnica da ASCRA}